testes de inglês onde ninguém fala

Você já percebeu que, embora a maioria das escolas venda conversação, na prática o foco acaba sendo sempre a escrita e a leitura? Quer um exemplo? Quando a escola propõe um teste pra avaliar seu inglês isso acontece através de uma conversa com você ou de um teste de múltipla escolha na internet? O pior é que nem áudio se coloca em tais testes. O foco pra quem estuda inglês deve ser sempre conversar em inglês. Ouvindo sempre e muito. E com a escrita e a leitura vindo logo em seguida. Não se pode aprender a falar bem inglês apenas com leitura.  ...

o inglês e o violão

Aprender uma outra língua é um desafio porque não se trata de simplesmente adquirir uma informação. Não é como aprender um fato histórico ou aplicar uma fórmula matemática. É mais como tocar violão. Existe o aspecto da performance: de falar inglês na frente de outra pessoa. E este aspecto vem depois que o aluno entende a lógica da gramática. O que geralmente acontece é que o aluno para na gramática. Contar uma história em inglês é um pouco como aprender a tocar uma música no violão. A dificuldade é estar pronto pra realizar aquela sequência de acordes num momento específico, de um jeito específico. Você não pode trocar a ordem dos acordes, demorar demais pra fazer cada um dos acordes ou parar no meio pra recomeçar. Tem que tocar na hora certa, do jeito certo, no tempo certo. Se não a pessoa não entende a música. No caso do violão, quando estiver praticando, você pode olhar o desenho do braço várias vezes e decorar mentalmente a sequência. Isso realmente vai te ajudar um pouquinho na hora de tocar. Mas se você não pegar no violão e fizer a sequência várias vezes até deixá-la “redondinha”, não vai adiantar nada. Esse processo todo envolve muita tentativa e erro, frustração, esquecer a sequência, por um dedo de um jeito e ele cair na corda errada, não ter certeza se está fazendo certo e coisas do tipo. E mesmo depois que estiver redondinho, você ainda pode errar quando for tocar na frente de outra pessoa porque pode ficar nervoso. Falar inglês é bem parecido. Na hora de falar você precisa confiar naquilo que...

Pare de arrumar desculpas

A pior coisa que você pode fazer é se convencer de que aprender inglês não é pra você. Logo, você vai estar acreditando nesta mentira e fechando as portas pra um universo de oportunidades. Qual a desculpa? Você é muito velho? Não leva jeito? Não tem tempo? Não tem dinheiro? Não gosta? Pra cada uma destas desculpas esfarrapadas, posso te apresentar exemplos de pessoas que refutaram cada uma delas e se deram bem com o inglês. Na verdade se deram bem na vida por causa do inglês. Contra todas as previsões e expectativas. Sério, pare de arrumar...

Multitasking não funciona

Ao invés de meia hora dividida entre o celular, a tv e a internet e o livro de inglês, gaste cinco minutos só com o livro. Difícil sim, mas muito mais eficiente. E daí você vai ter 25 minutos livres pra voltar para o celular, a tv e a internet. E na aula, desligue o celular. Seu aproveitamento e progresso no inglês vão aumentar exponencialmente. Te...

Emails 2 – copie e cole

Ainda falando sobre emails, vale a pena lembrar que email não é meramente um exercício de writing. Claro que envolve escrever e todas as convenções de escrita. Mas a linguagem do email é muito próxima da fala. Especialmente em inglês, onde emails profissionais tendem a ser menos formais que os que escrevemos em português. Eu estava analisando uma sequência de emails outro dia e me dei conta de que 90% das expressões idiomáticas que eu estava lendo podiam muito bem ser faladas ao telefone. Então aprender essas expressões pode ser muito útil na sua conversação. Outra coisa: saiba como usar frases prontas como ’em anexo, estou enviando o documento’, ‘aguardo sua resposta’, ‘desculpe não ter respondido antes’, ‘com relação ao seu último email’, ‘te dou um retorno assim que puder’, ‘se tiver dúvidas, não hesite em perguntar’, etc. Vá anotando essas expressões e copie e cole essas coisas no seu email. Não tente re-inventar a roda e escrever essas coisas como você acha que são. Simplesmente copie e cole. Estas frases não são necessariamente traduções diretas do português. Quando tentamos traduzir essas expressões do português, geralmente escrevemos de um jeito artificial que soa muito estranho pra um falante nativo. Há expressões idiomáticas como ‘I look forward to hearing from you’ que não têm um equivalente direto em português. Isso é alguma coisa que aparece no fim dos emails e se parece um pouco com ‘aguardo seu retorno’. Um falante nativo vai entender perfeitamente o que você quer dizer se você escrever ‘I look forward to hearing from you’. Mas vai achar estranho se você escrever ‘I wait for your...

Calvin & you

  Você já leu Calvin e Haroldo? O que acha do Calvin como aluno? Calvin escrevendo redação conta cuidadosamente o número de palavras pra não escrever nenhuminha a mais. Calvin está presente na aula fisicamente, mas seu pensamento está em um universo paralelo onde há monstros e ele é um herói intergalático. Calvin evita a todo custo interagir com Miss Wormwood, a professora, que está no mundo para tornar sua vida um inferno. Fala o mínimo possível com ela. Mas Miss Wormwood, além de contar os dias pra aposentadoria, também não morre de amores por Calvin. Então é uma relação de ódio-ódio. Calvin procrastina fazer a tarefa até o último minuto. Geralmente acaba fazendo na noite anterior à aula, bem tarde, quando está com sono e de saco cheio. Fim de semana é pra se divertir e esquecer que existe escola. A tarefa é feita às pressas pra poder sair pra brincar. Revisar e ver se está tudo certo depois de terminar? Que ideia! E ainda tem uma Susie Derkins na sua sala. Aquela menina educada e coxinha que sabe todas as respostas e não passa nenhuma na hora da prova. Você se identificou com o Calvin? As coisas que acontecem com ele são parecidas com você e seus estudos? Ou talvez com você e sua escola de inglês? Então… o problema é que Calvin tem seis anos! Ah, e o inglês dele também é muito bom. Muito bom...