Como saber se estou falando errado?

É difícil descobrir por si só se há algo errado com seu jeito de falar inglês. Mas aqui vão algumas dicas que podem ajudá-lo a ter uma ideia de a quantas anda sua capacidade de se comunicar oralmente: A pessoa pede que você repita palavras ou expressões com frequência. Isso pode indicar problemas de pronúncia. Pode ser também que você não tenha confiança e tenha uma tendência a falar baixo demais. A pessoa não entende o que eu digo num primeiro momento e eu geralmente preciso reformular minhas ideias pra que me entendam. Isso pode indicar que há problemas na organização das suas ideias. Pode ser que você esteja muito preso à sua forma de pensar em português e esteja simplesmente traduzindo do português para o inglês. O resultado é um amontoado de palavras do inglês que, quando juntas, não fazem sentido para um falante nativo (este é o famoso ’embromation’). Preciso recorrer muito a gestos e ajudas não verbais para me fazer entender. Não há problema em usar gestos para se comunicar. O problema é depender deles porque não estamos conseguindo nos expressar com as palavras. Meu interlocutor com frequência sugere palavras diferentes das que eu uso. Isso pode significar problemas no uso do vocabulário, na sua escolha de palavras. Possivelmente você não está familiarizado com expressões idiomáticas ou collocations (combinações de palavras). Se estas coisas estão acontecendo com você, peça a um professor ou alguém que saiba bem inglês pra te dar uma opinião sobre seu jeito de falar. Procure corrigir os erros para se fazer entender melhor....

Alguns problemas ao fazer ‘listening’

Ouvir é uma das primeiras coisas que aprendemos a fazer. Estamos fazendo isso ainda de dentro da barriga da mãe. Então podemos deduzir que aprender a ouvir outra língua — mais tarde quando adultos — vai ser canja de galinha, certo? Não necessariamente. O problema é precisamente manter alguns dos padrões de comportamento que temos quando ouvimos coisas na nossa língua materna. E estes padrões podem atrapalhar. Por exemplo: • Tachar o assunto de chato e desinteressante. O assunto é secundário. Você está treinando seu listening. Não foque muito no conteúdo. • Criticar o jeito ou sotaque da pessoa que está falando. Inglês texano X inglês australiano X inglês com sotaque indiano… Não é importante agora. Além disso, você precisa conhecer outros sotaques. Eu mesma, quando morei em Chicago, cansei de falar com indianos ao telefone pra resolver problemas de internet. • Focar na falta de qualidade da gravação. Lembre-se que você vai usar inglês em condições nada perfeitas (numa ligação ruim, por exemplo). Vá treinando. • Ficar empolgado demais com o conteúdo. Foque nos padrões novos do uso da língua (vocabulário, entonação, expressões idiomáticas, pronúncia, expressões que você não usaria, etc.). • Ouvir principalmente para absorver os fatos. Sua atenção deve estar no uso da língua. • Tentar logo de cara organizar o que está sendo falado. Sua mente quer encaixar o que ouve nos seus padrões de organização. Você está focando no que não é importante. • Fingir que ouve, permitir que sua mente vague (“viajando” enquanto ouve). Controle-se e aprenda a manter a concentração. • Evitar material difícil. Se você ouvir só o que é fácil...

Pronúncia como empecilho

Quando se trata de pronúncia, seu objetivo, é claro, deve ser sempre buscar o melhor. Mas tornar-se obcecado por uma pronúncia perfeita pode ser um fator de empecilho para o seu progresso. Especialmente se você está começando. É difícil, para o iniciante, pensar em encontrar a palavra certa para algo que está tentando dizer, ao mesmo tempo em que usa o tempo verbal adequado e ainda articular a pronúncia perfeita. E fazer tudo isso em questão de segundos! Com tanta coisa pra pensar, a pessoa pode travar e não conseguir falar nada. Outro fator é que algumas pessoas buscam aperfeiçoar a pronúncia individual das palavras e comprometem o fluxo da frase. Isso resulta numa maneira muito artificial de falar que é difícil de ser entendida por um falante nativo do inglês. Nós não falamos pensando palavra por palavra;  de modo geral, pensamos em ideias e elaboramos frases que traduzem estas ideias. Ao falar inglês, pense no som de frases inteiras. Para isso, analise a entonação que um falante nativo usa, aprenda a ouvir a ‘música’ da língua. Ouça e repita. Tente imitar o jeitão de falar. Tire os olhos do texto e concentre-se em repetir o que ouve. Olhe para seu professor e não pro livro-texto. É muito comum lermos com a pronúncia errada porque a palavra escrita já nos sugere uma pronúncia (nem sempre correta). Esqueça o texto escrito. Feche os olhos e concentre-se em repetir o que...