Virtual? Bah!

Pra muita gente, o virtual não funciona. E não tem que funcionar. Não há nada de errado em gostar de interações ao vivo e em cores ao invés de através de telas de computador. De gostar de papel e caneta ao invés de celular. De bilhetes ao invés de whatsapp. Cada um é cada um e é preciso respeitar as preferências. É chato quando taxam de retrógradas e atrasadas as pessoas que gostam do jeito antigo de fazer as coisas. Besteira. Eu gosto de tecnologia. Mas aprendi inglês quando não havia computador e nem internet. Falar outra língua tem a ver com interações humanas, com comunicação, com expressar-se. Pessoas são mais importantes que as tecnologias que elas usam. Sempre vão ser. Dê uma banana pra esse povo que promove a ideia de que só a tecnologia te permite aprender de modo...

escrita: use seu celular pra melhorar

O único modo de aperfeiçoar sua escrita em inglês é escrevendo. E, preferencialmente, tendo alguém pra revisar o que você escreve. Mas acredito que o simples fato de periodicamente por coisas no papel (ou tela) já ajuda a melhorar sua capacidade de escrever. Mas quem acha tempo pra fazer tarefas por escrito nestes dias tão corridos? Uma solução que tenho encontrado – e sugerido aos meus alunos – é forçar-se a escrever um pouquinho todos os dias. Só algumas frases mesmo. Sentar pra escrever uma redação em inglês pode ser impossível na correria do dia a dia. Mas umas poucas frases? Você consegue achar tempo pra isso. Então sugiro que me escrevam um email ou um texto curto toda semana. O segredo está em fazê-lo constantemente. Como gosto de explorar novas tecnologias, transferi essa tarefa diária pro meu celular e tenho usado um aplicativo chamado Day One. A vantagem é que o celular está sempre comigo, então nunca posso reclamar de falta de tempo. Este aplicativo funciona como um diário que você pode incluir fotos, links, hashtags, calendário. Custa 10 dólares mas se é caro pra você, há opções de aplicativos gratuitos. O importante é a ideia de ter um meio que te permita anotar seus pensamentos ou coisas que te aconteceram no dia. E você pode escrever qualquer coisa. Você pode fazer deste aplicativo um diário secreto (pra reclamar de quem bem entender, por exemplo). Ele inclui a possibilidade de usar senha, então só você terá acesso ao que escreve. Você também pode anotar seus planos e tarefas (e usá-lo como uma agenda ou to-do list). Você pode...

Librivox, site para download de audiobooks

Você já ouviu falar do site Librivox? É um site que reúne audibooks (versões em áudio de livros) de obras em inglês que estão em domínio público. Isso inclui coisas muito boas como a obra de Shakespeare, clássicos da filosofia, clássicos da literatura mundial em inglês, a Bíblia (diferentes traduções)  e mesmo algumas obras de não-ficção. Há coisas gravadas em outras línguas que não o inglês também. Existe um número incrível de livros gravados em mp3 que podem ser baixados gratuita e legalmente. Aqui está o catálogo. O projeto funciona através de voluntários: falantes nativos do inglês gravam trechos do livro e estes são reunidos e organizados no site. E colocados à disposição do público pra download. Dê uma fuçada. Tem coisas muito boas lá. E livros em áudio pra todos os gostos que você pode por no seu celular e ouvir onde...

Usando aplicativos do smartphone pra estudar inglês

Um recurso que tenho usado com alguns alunos e que tem funcionado bem é exercícios de gramática que vêem no formato aplicativo para smartphone. Ao invés de fazer os exercícios num livro, a pessoa pode fazer no celular. Como? Ha aplicativos gratuitos e pagos. Os pagos são melhores, claro, e incluem versões em aplicativo de livros clássicos de gramática (como os publicados pela Cambridge University Press). Há uma infinidade de opções. Fiz uma busca rápida com ‘English Grammar’ no iPhone que resultou em mais de 500 opções! Quais as vantagens? Praticidade. Você leva a tarefa de casa com você no seu celular. Pode fazê-la em qualquer lugar e a qualquer hora. Suas desculpas acabaram mesmo. O formato meio que engana: você tem a impressão de que é um joguinho. Bem melhor que abrir o livro e fazer o exercício por escrito. Mas o exercício é exatamente o mesmo! Alguns aplicativos integram áudio e leitura, o que ajuda e muito na hora de fixar. A frase é lida pra você em voz alta, com a pronúncia perfeita. Um livro-texto não tem nada disso. Você pode refazer os exercícios depois de um tempo, o que ajuda a memorizar. Sem se preocupar se as respostas estão escritas, como no caso de um livro. Preço. Não é tão caro quanto você pensa. Um ou outro livro pode custar um pouco mais, mas a maioria dos aplicativos fica na faixa dos 2 a 5 dólares. Há aplicativos para te ajudar com os vários aspectos de gramática, como uso de tempos verbais, uso de preposições, verbos irregulares, phrasal verbs, vocabulário, pronúncia, preparação para exames, etc....

Como escolher um professor (parte 5)

Alguém que conhece livros e materiais sobre ESL (atualizado sobre novidades na área) A indústria de publicações de materiais para ESL (English as a Second Language) é incrivelmente dinâmica. Há novidades quase que diárias, um incrível número de opções para todo tipo de aluno, contemplando todo tipo de dificuldade. Há publicações voltadas para dificuldades com verbos, preposições, material para vocabulário, collocations, materiais de conversação, cursos e livros voltados para quem precisa escrever email, falar ao telefone, business English, e por aí vai. Tudo o que você imaginar! Seu professor tem que saber destas novidades. Ele tem que estar atualizado sobre os lançamentos e publicações pra poder sugerir materiais que vão ajudar o aluno em suas dificuldades. Isso vale para o universo de aplicativos pra smartphone que existem para quem está estudando inglês. O professor precisa saber dessas coisas e dar dicas pro aluno. Alguém que está usando e melhorando seu inglês. Todo mundo precisa dar duro pra manter seu inglês afiado. Não existe esse negócio de “aprendi, tá aprendido”. Seu professor deve usar o inglês o tempo todo pra não enferrujar. Isso vem através do uso diário: pensar em inglês, leitura de livros, conversas com outros falantes da língua, filmes, audiobooks, viagens, uma rotina de escrever em inglês, etc. O inglês tem que ser parte da vida da pessoa, não algo separado que a pessoa desliga no fim de semana. Ser professor de inglês é um full-time job! Pessoalmente, tenho achado que audiobooks são o que funciona pra mim pra manter meu inglês afiado. Ouço livros sempre que posso e isso me ajuda a manter meu inglês em...

Como escolher um professor (parte 4)

Duas outras qualidades um bom professor deve ter. Alguém com quem você não se sinta intimidado. O professor tem que achar um jeito de deixar você à vontade durante a aula. Se você se sentir intimidado, não vai conseguir falar. É claro que, num primeiro momento, todo mundo fica tímido ao falar inglês na frente de uma pessoa que sabe mais. Você está se expondo, errando e ninguém quer passar vergonha. Mas isso muda com o tempo. E seu professor tem um papel fundamental nisso. Ele precisa saber como facilitar as coisas e como deixar você à vontade pra falar. Se isso não aconteceu e você ainda trava na frente do seu professor, precisa descobrir qual o problema. Se for o professor, talvez você seja hora de trocar. Alguém que domine a tecnologia e recursos na internet. Se seu professor não usa a internet, isso é um mau sinal. Sobre esse assunto, escrevi um pouco aqui. A internet é a ferramenta mais poderosa que existe pra desenvolver seu inglês. Simplesmente não dá pra ignorar. E sobre tecnologia em geral, com a chegada dos smartphones, tablets e dos seus aplicativos, não seria exagero dizer  que o livro-texto vai acabar migrando para o formato aplicativo num futuro próximo. E os próprios tablets têm se tornado ferramentas para ler boa parte dos livros. Há aplicativos para estudar gramática, ler e ouvir livros de ficção, memorizar vocabulário, corrigir sua pronúncia, estudar phrasal verbs, preposições e uma infinidade de outras coisas. Seu professor tem que conhecer esses recursos todos e mostrá-los a...