Não é comigo

Quando morei no Japão, passei boa parte do meu tempo lá ignorando o japonês (a língua). Agia como se não fosse comigo. Ficava no meu mundo interior pensando em português. É totalmente possível viver assim: ignorando a língua nativa do lugar.

Muitas pessoas fazem isso com o inglês. Ele está em todo lugar e somos bombardeados por ele. Mas podemos fechar os olhos e os ouvidos.

Para melhorar você tem que parar de fazer isso. Precisa correr PARA o inglês e não DO inglês. Encare toda oportunidade de falar ou ler como uma chance para aprender. Seja curioso e interessado por coisas em inglês.

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *